Fiat desiste de fusão com Renault e montadora francesa cita ‘decepção’

  • 06/06/2019 10h45
EFEFrancesa Renault lamentou decisão de empresa italiana em desistir do processo de fusão

A montadora francesa Renault manifestou nesta quinta-feira (6) a sua “decepção” com a desistência da Fiat Chrysler Automobiles (FCA) a continuar com seu projeto de fusão, mas ao mesmo tempo agradeceu ao grupo ítalo-americano pelos seus esforços e insistiu que a proposta “é oportuna”.

Em comunicado, a Renault ressaltou o reconhecimento ao enfoque “construtivo” de seu parceiro da aliança Nissan (acionista de 15% de seu capital) e agradeceu a FCA.

A FCA informou na quarta-feira (5) que estava desistindo de sua iniciativa para se unir à Renault porque o conselho de administração do fabricante francês tinha adiado, pela segunda vez consecutiva, uma decisão sobre a abertura de negociações exclusivas para a fusão.

Os dois membros da Nissan do conselho de administração (há 19 no total) tinham se abstido, uma postura que não era de oposição à operação, mas como uma forma de manifestar que era preciso examinar mais a fundo as consequências que a fusão poderia ter para a aliança.

Nesse contexto, os dois administradores do Governo francês  – o Estado é junto com a Nissan o primeiro acionista, com 15% da Renault – forçou um novo adiamento para outra reunião do conselho de administração que devia acontecer na próxima terça-feira.

O ministro de Economia e Finanças francês, Bruno Le Maire, reconheceu que tinha conseguido três das quatro condições para dar sinal verde à fusão Renault-FCA, mas não a quarta porque “faltava obter um apoio explícito da Nissan”.

Em comunicado nesta quinta-feira, seu departamento insistiu em que não estava disposto a colocar em risco sua associação com a Nissan, ao assinalar que a “Renault, dentro da aliança, conta com o conjunto de armas para enfrentar os desafios do setor automobilístico, em particular o veículo elétrico e a redução de emissões”.

*Com informações da Agência EFE