França comemora 130 anos da Torre Eiffel com música, fotos, jogos e teatro

  • Por Jovem Pan
  • 30/03/2019 16h14
PixabayFim de semana será de muita festa em Paris e mais preparativos estão sendo feitos para 15 de maio, aniversário oficial do monumento

A França celebra neste fim de semana o 130º aniversário de inauguração da Torre Eiffel com dois dias de festividades marcadas por gincanas, representações teatrais em trajes de época e música, que abrem o calendário de outras comemorações que acontecerão no decorrer deste ano.

A partir deste sábado (30), a empresa que explora o monumento mais icônico de Paris organiza jogos de pistas com enigmas e apresentações teatrais interpretados por atores caracterizados como se estivessem no século 19.

Além disso, durante as tardes de hoje e amanhã estão programadas atrações musicais com fanfarras, entre elas uma da escola de engenharia onde estudou o “pai” da Torre Eiffel, Gustave Eiffel.

Nos jardins com flores e canteiros, também foi instalada uma exposição com fotografias de grande dimensão de alguns dos 270 funcionários do monumento, e foi colocada uma placa em homenagem aos cerca de 200 operários que trabalharam em sua construção.

Mais comemorações estão programadas para 15 de maio, quando completam 130 anos da abertura do monumento ao público. Desde então, mais de 308 milhões de pessoas passaram por ali, com 6,1 milhões apenas no ano passado.

A Torre Eiffel foi inaugurada em 31 de março de 1889. Naquele dia, seu criador, Gustave Eiffel, subiu as 1.710 escadas – os elevadores levaram 10 anos para chegar – acompanhado de integrantes da prefeitura de Paris e hasteou em seu topo uma grande bandeira francesa.

O monumento, que foi a construção mais alta do mundo durante quatro décadas, até ser superado pelo arranha-céu Chrysler em Nova York em 1929, tem 324 metros de altura e sua estrutura metálica pesa cerca de 7.300 toneladas, distribuídas em 18.038 peças.

Sua construção, por ocasião da Exposição Universal de Paris, levou dois anos, dois meses e cinco dias.

Inicialmente, estava previsto que ela fosse desmontada após 20 anos, mas Eiffel trabalhou para que – apesar das muitas críticas que recebeu em seu início – suas aplicações científicas e técnicas garantissem que a torre seguisse de pé.

*Com Agência EFE