França flexibiliza lockdown com retomada das aulas presenciais e viagens domésticas

A próxima fase de reabertura deve começar no dia 19 de maio, quando restaurantes poderão servir em ambientes ao ar livre e os museus e instalações esportivas terão permissão para funcionar

  • Por Jovem Pan
  • 03/05/2021 12h35 - Atualizado em 05/05/2021 13h05
EFE/EPA/YOAN VALATPassageiros desembarcam na estação Gare du Lyon em Paris nesta segunda-feira, 3, quando as viagens domésticas voltaram a ser permitidas

A França iniciou nesta segunda-feira, 3, o seu processo de flexibilização do lockdown iniciado em março com a retomada das viagens domésticas e das aulas presenciais para alunos do ensino fundamental e médio. O toque de recolher, no entanto, continua em vigor das 19h às 6h em todo o país. A próxima fase de reabertura deve começar no dia 19 de maio, quando restaurantes, bares e cafés poderão servir em ambientes ao ar livre, os museus e as instalações esportivas terão permissão para funcionar e o toque de recolher será adiado para a partir das 21h. Atualmente, o país está registrando cerca de 25 mil novas contaminações pelo coronavírus por dia e menos de 200 mortes causadas pela doença, sendo que 5.600 pacientes com Covid-19 estão internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Até agora, 15 milhões de pessoas (cerca de 23,3% da população) já receberam pelo menos a primeira dose da vacina contra Covid-19 na França, sendo que no sábado, 1º, a campanha foi aberta a todos os adultos com comorbidades.

Portugal

Portugal iniciou a sua última fase de flexibilização do lockdown no sábado, 1º, com a realização de shows experimentais, aumento no horário de funcionamento de restaurantes e comércios e reabertura da fronteira com a Espanha. A incidência de infecções pelo novo coronavírus no país foi reduzida pela metade desde o início do confinamento. Na sexta-feira, 30, por exemplo, Portugal não registrou nenhuma morte causada pela Covid-19. Quase 22% da população portuguesa recebeu pelo menos uma dose da vacina e a expectativa é que até ao final de maio todas as pessoas com mais de 60 anos sejam imunizadas.