Protestos na cidade francesa que sedia cúpula do G7 deixam saldo de 68 prisões

Pelo menos 38 seguem detidos após protestos na cidade de Biarritz, na França, que sedia a reunião de cúpula do G7

  • Por Jovem Pan
  • 24/08/2019 19h36 - Atualizado em 25/08/2019 09h57
EFE/EPA/GUILLAUME HORCAJUELOManifestantes protestaram na cidade de Biarritz, na França, que sedia a cúpula do G7

A prefeitura de Biarritz, cidade da França que sedia a cúpula do G7, divulgou neste sábado (24) que 68 pessoas foram presas durante protestos devido a atos de vandalismo e envolvimento em confrontos com policiais.

Ao todo, 38 manifestantes seguem detidos, acusados de participação em concentração organizada com fins violentos, posse de objetos que poderiam ser utilizados como arma, por agressão a integrantes das forças de segurança e por esconderem os rostos.

Os principais conflitos aconteceram no fim da tarde (hora local), na região central de Bayonne, distante menos de dez quilômetros de Biarritz, onde foi aberta oficialmente neste sábado a cúpula que reúne os líderes de França, Alemanha, Canadá, Estados Unidos, Itália, Japão e Reino Unido. No local, centenas de manifestantes se reuniram, em ato que não havia sido divulgado para as autoridades locais.

Além disso, também houve confrontos na localidade conhecida como Petit Bayonne, em que objetos, pedras e sinalizadores foram lançados contra policiais, que responderam com gás lacrimogêneo e canhões de água. Entre os manifestantes, foram identificados grupos classificados como “black blocs” e também “coletes amarelos”.

Na tarde desta sexta-feira (24), as autoridades locais já tinham divulgado a prisão de outras 17 pessoas, por incidentes em uma contra-cúpula, que está sendo organizado na cidade de Urrugne. Quatro policiais ficaram feridos.

*Com EFE