Governo do Peru vai restringir acesso a Machu Picchu; entenda

  • Por Jovem Pan
  • 13/05/2019 14h28
DivulgaçãoDepois de duas semanas de teste, autoridades avaliarão os resultados para aplicar (ou não) uma restrição permanente

O governo do Peru decidiu restringir por duas semanas, a partir desta quarta-feira (15), o acesso a três importantes áreas de Machu Picchu. O intuito é evitar a deterioração do local.

Segundo as autoridades, o acesso aos templos do Sol e do Condor e à pedra de Intihuatana será estritamente controlado. “Essas medidas são necessárias para conservar Machu Picchu, dada a evidência da deterioração nas superfícies das pedras causadas por visitantes destas três áreas”, afirmou o Ministério da Cultura local.

Nos últimos anos, o sítio arqueológico foi invadido pelo turismo de massa. Antes, era permitida a entrada de quase 6 mil visitantes por dia, em duas levas. Com a nova restrição, entre os dias 15 e 28 de maio, os turistas terão apenas três horas para visitar cada uma das três principais atrações.

Depois destas duas semanas de teste, autoridades avaliarão os resultados da medida antes de aplicar (ou não) uma restrição permanente a partir de 1º de junho.

A cidade perdida dos incas foi construída durante o reinado do imperador Pachacuti (1438-1471) e fica a cerca de 100 quilômetros da cidade andina de Cusco, a antiga capital inca no sudeste do Peru. As ruínas foram descobertas em 1911 pelo explorador americano Hiram Bingham. Em 1983, a antiga cidade foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

*Com Agência Brasil