Governo insiste em informações sobre morte de brasileira na Nicarágua

  • Por Estadão Conteúdo
  • 25/07/2018 16h40
Reprodução/FacebookExiste necessidade "imperiosa" de elucidar rapidamente as circunstâncias do assassinato, diz nota do Ministério das Relações Exteriores
O governo brasileiro e a Embaixada do Brasil em Manágua seguem insistindo junto às autoridades nicaraguenses sobre a necessidade “imperiosa” de elucidar rapidamente as circunstâncias da morte da estudante Raynéia Gabrielle Lima, ocorrida no dia 23. A informação foi dada nesta quarta-feira (25) pelo Ministério das Relações Exteriores.

A pasta esclareceu ainda que está em contato com a família da jovem por meio do escritório do Itamaraty no Recife e do Núcleo do Atendimento a Brasileiro, na capital federal. Além disso, a embaixada tem prestado “todo apoio cabível” para obter a documentação necessária para a liberação do corpo e informado à família sobre os custos. “Os procedimentos médico-legais são de competência exclusiva das autoridades da Nicarágua”, informou.

Na terça-feira, 24, o ministério convocou a embaixadora da Nicarágua no Brasil, Lorena Martínez, a dar explicações sobre o episódio. Além disso, chamou de volta o embaixador brasileiro naquele país, Luis Cláudio Villafagne. As duas iniciativas expressam uma forte insatisfação. O governo também divulgou nota se dizendo “profundamente indignado” com o ocorrido e criticando a atuação de milícias no país.