Guaidó convoca novas manifestações na Venezuela

  • Por Jovem Pan
  • 08/01/2020 15h24 - Atualizado em 08/01/2020 15h26
EFEGuaidó convoca semana de manifestações na Venezuela

O deputado e autoproclamado presidente interino da Venezuela Juan Guaidó convocou uma série de protestos a fim de mobilizar a população no país e dar novo fôlego às investidas contra o governo de Nicolás Maduro. Os atos estão marcados para começar nesta quinta-feira, 9, e vão até o próximo sábado, 11. Uma grande marcha rumo a Assembleia Nacional (AN) está sendo organizada para terça-feira, 14.

A convocação acontece justamente após a reeleição de Guaidó para o cargo de presidente da casa. Apesar da reeleição, o político enfrenta um momento de baixa. Segundo uma pesquisa da Datanálisis, a popularidade do líder oposicionista caiu dos 76% registrados em março para 39% em dezembro.

“É um chamado às ruas. É hora de se levantar e posicionar-se com força. Vamos nos mobilizar nas ruas quinta, sexta e sábado. E na terça-feira vamos todos juntos à Assembleia Nacional”, disse. “Não pretendo ser um messias. Não estou pedindo uma segunda chance para Guaidó, estou pedindo uma segunda chance para a Venezuela.” completou.

Reeleição

Guaidó foi reeleito presidente da Assembleia Nacional no último domingo após receber 100 votos de deputados da oposição em uma eleição tumultuada. Impedidos de entrar no palácio legislativo, os oposicionistas se reuniram na sede do jornal El Nacional. Enquanto isso, dentro do palácio em uma sessão sem quórum, Luís Parra era eleito presidente do Parlamento por apoiadores de Maduro.

Ontem, 7, em mais uma tentativa de legitimar seu cargo, Guaidó foi novamente ao prédio da AN. Desta vez, conseguiu entrar e discursar em uma sessão legislativa.

A reeleição de Juan Guaidó e sua atuação como presidente interino da Venezuela são reconhecidas por diversos países, como Brasil e Estados Unidos. Mesmo sem reconhecer o presidente interino, vizinhos como a Argentina, México e Uruguai questionaram o ocorrido.

Em nota, o Governo do Uruguai expressou “profunda preocupação com a violação dos direitos dos deputados da Assembleia Nacional da Venezuela, a mais alta expressão da democracia e, em particular, com a ação da Guarda Nacional Bolivariana que impediu a participação de representantes legitimamente eleitos pelo povo”.

Críticas

Ontem, Nicolás Maduro chamou Mike Pompeo, secretário de Estado americano, de ‘palhaço fracassado’.

“O governo de Donald Trump continuará a falhar, falhar e falhar e Mike Pompeo continuará a montar o show, a palhaçada. Acabará como um palhaço fracassado. Os Estados Unidos se dão ao direito de nomear os parlamentos do mundo com ameaças”, disse, em rede nacional de televisão.

* Com informações da Agência Brasil.