Guarda costeira da Líbia recupera 156 pessoas após naufrágio de embarcação

  • Por Agência EFE
  • 19/07/2018 08h52
EFEEstatísticas da ONU apontam que, até o final de 2019, mais de 79,5 milhões de pessoas no mundo deixaram seus locais de origem

Uma patrulha de guarda costeira da Líbia recuperou 156 pessoas na noite de quarta-feira, após o naufrágio de um bote, a 47 milhas da costa de Al Khoms (noroeste) quando tentavam atravessar o Mediterrâneo para chegar até as costas da Europa, informou nesta quinta-feira (19) à Agência Efe, o porta-voz das Forças Navais, Ayub Qasem.

Segundo o oficial, entre os resgatados – originais do Sudão, Mali, Nigéria, Gana, Guiné, Costa do Marfim, Níger e Camarões – encontravam-se 24 mulheres e 10 crianças.

“Após a operação, os imigrantes receberam assistência médica na base naval de Trípoli e posteriormente foram transferidos ao centro de combate à imigração ilegal, na cidade de Al Khoms”, completou.

As praias que se estendem entre Trípoli e a fronteira com Tunísia se transformaram nos últimos dois anos no principal bastião das máfias que traficam seres humanos, apesar da presença de patrulhas europeias.

No ano passado, 3.138 imigrantes paquistaneses chegaram por mar da Líbia à Itália, tornando-se o 13º lugar na lista geral de chegadas a este país.

Segundo dados da OIM, órgão vinculado à ONU, mais de 171.635 imigrantes irregulares conseguiram chegar até a Europa em 2017, enquanto 3.116 desapareceram no mar.