Igreja Católica suspende realização de missas no Sri Lanka

  • Por Jovem Pan
  • 26/04/2019 14h39
EFEMissas serão transmitidas pela televisão; medida foi tomada por segurança, segundo cardeal

Igrejas do Sri Lanka suspenderam a realização de missas presenciais nesta sexta-feira, 26. A medida foi anunciada pelo cardeal Albert Malcolm Ranjith, representante da Igreja Católica do Sri Lanka, e vale até segundo aviso. As igrejas temem novos atentados depois da série de explosões que deixaram 253 mortos e 500 feridos durante celebrações no Domingo de Páscoa.

“Suspendemos todas as nossas missas até segundo aviso”, disse em entrevista coletiva o cardeal Ranjith, que também é arcebispo de Colombo, a capital do país. Segundo ele, as missas serão transmitidas pela emissora nacional de televisão.

O cardeal também expressou preocupação com “o trauma terrível” das vítimas, especialmente as que sofreram graves danos psicológicos por causa dos ataques e da perda de entes queridos.

“As pessoas estão muito traumatizadas, não estão sofrendo economicamente, estão sofrendo o impacto de terem perdido entes queridos”, disse o cardeal.

“Por um lado, temos que ajudá-los a recuperar a força psicológica e espiritual e, por outro, ajudá-los a reconstruir suas vidas”, disse Malcolm, informando também que a Igreja começou a recolher doações para ajudar os sobreviventes e reconstruir as igrejas.

“É uma situação muito triste para mim porque perdi parte da minha comunidade. Todos eles foram à igreja no domingo acreditando que voltariam para casa”, lamentou o cardeal.

O primeiro-ministro do Sri Lanka, Ranil Wickremesinghe, escreveu em mensagem no Twitter que o governo está comprometido em reconstruir as igrejas, reativar a economia e tomar todas as medidas para prevenir o terrorismo, com apoio da comunidade internacional.

Os líderes religiosos se reuniram depois dos atentados para discutir os temores dos fiéis em relação a novos ataques e a reações violentas contra a comunidade muçulmana. Cerca de 700 muçulmanos deixaram suas casas em Nagombo, e estão refugiadas, em lugar não divulgado, porque sofreram ameaças e intimidação.

No Sri Lanka, os cristãos e os muçulmanos são minorias. Os cristãos representam 7,4% da população, e os muçulmanos 9,7%. Pouco mais de 70% da população é budista.

*Com EFE