Incêndio destrói igreja considerada Patrimônio da Humanidade no Haiti

  • Por Jovem Pan
  • 13/04/2020 21h43
Reprodução/Redes SociaisIgreja da Imaculada Conceição, localizada em Milot, é declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO

A Igreja da Imaculada Conceição, localizada em Milot, região norte do Haiti, foi destruída por um incêndio nesta segunda-feira. O local é declarado Patrimônio da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura pela UNESCO. A informação foi confirmada pela prefeitura da cidade.

Ainda não se sabe qual a causa do fogo, que foi reportado durante a noite. O incêndio destruiu completamente a cúpula do templo, incluindo os itens do interior da igreja.

Henry Claude Télémaque, vice-prefeito de Milot, contou que nada foi poupado das chamas, com exceção de alguns bancos que foram arrancados por voluntários que auxiliaram no combate às chamas. A estrutura ainda está de pé. “É uma igreja extraordinária por causa da forma como foi construída. Quando os bombeiros chegaram ao local, demoraram muito tempo para combater o incêndio”, declarou o político.

Em Porto Príncipe, o escritório da UNESCO expressou seu pesar pelo templo, que fica no Parque Histórico Nacional-Ciudadela, a 20 quilômetros ao sul de Cap-Haitien, segunda maior cidade do país, inscrita na Lista do Patrimônio da Humanidade em 1982.

“É um tesouro perdido para as gerações presentes e futuras. Com mais de 200 anos de história, a igreja real continuará sendo uma fonte insubstituível de inspiração”, disse Pilar Alvarez, representante da Unesco no Haiti, em uma mensagem postada nas redes sociais.

A cúpula da Igreja Católica da Imaculada Conceição em Milot é um dos movimentos mais famosos do Haiti, e foi classificada como Patrimônio Nacional em 1979 pelo Instituto para a Salvaguarda do Patrimônio Nacional (Ispan).

O templo foi construído entre 1810 e 1813 por decisão de Henri Christophe, herói da Guerra da Independência do Haiti e autoproclamado rei Henrique I em 1811. Foi restaurada pela primeira vez na década de 1930 e há dois anos foi submetida a obras de emergência para preencher grandes buracos em sua cúpula.

* Com EFE