Índia: Incêndio em hospital mata oito pacientes com Covid-19; 40 são resgatados

Segundo agente do quartel dos bombeiros, o incêndio já foi controlado e teve início por razões ainda “desconhecidas”

  • Por Jovem Pan
  • 06/08/2020 10h33
EFEO incêndio ocorreu no Shrey Hospital, em Ahmedabad, uma pequena clínica particular com apenas 50 leitos para o tratamento de pacientes com o novo coronavírus

Pelo menos oito pacientes com sintomas de Covid-19 morreram nesta quinta-feira, 06, quando o pequeno hospital onde estavam internados em Ahmedabad, capital de Gujarat, no oeste da Índia, pegou fogo. “Infelizmente, oito pacientes que estavam na UTI do hospital morreram. Nós resgatamos aproximadamente 40 pacientes que estavam no prédio quando o incêndio começou e foram levados para outro hospital em Ahmedabad”, disse à Agência Efe, um agente do quartel dos bombeiros do distrito de Navrangpura. O oficial, que não especificou o número de feridos, afirmou que o incêndio já foi controlado e teve início por razões ainda “desconhecidas”.

O incêndio ocorreu no Shrey Hospital, em Ahmedabad, uma pequena clínica particular com apenas 50 leitos para o tratamento de pacientes com o novo coronavírus. Segundo informações a agência local de notícias, “ANI”, o chefe de governo de Gujarat, Vijay Rupani, ordenou uma investigação sobre o incidente. O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, transmitiu suas condolências aos parentes das vítimas por meio de postagem em um rede social. “Entristecido pelo trágico incêndio no hospital de Ahmedabad. Minhas condolências às famílias enlutadas. Que os feridos se recuperem logo”, escreveu no Twitter. “O governo está prestando toda a assistência possível às pessoas afetadas”, acrescentou. Da mesma forma, seu gabinete anunciou ajuda de 200 mil rúpias, cerca de R$ 14 mil, aos familiares das vítimas e 500 mil rúpias, cerca de R$ 35 mil, para cada um dos feridos. O incidente ocorreu no 10º estado mais afetado pela pandemia na Índia, com 66.669 casos positivos, dos quais 2.556 morreram.

*Com informações da EFE