Ciclone deixa pelo menos 34 mortos e mais de 16 mil casas danificadas na Índia

Com ventos de até 185 km/h, o Tauktae atingiu o país em um momento crítico da segunda onda da pandemia, forçando a suspensão dos programas de vacinação e pondo em risco os hospitais

  • Por Jovem Pan
  • 18/05/2021 13h06 - Atualizado em 18/05/2021 19h05
EFE/STRO ciclone Tauktae forçou as autoridades da Índia a evacuarem mais de 200 mil pessoas

Pelo menos 20 pessoas morreram, incluindo uma criança e uma idosa, devido à passagem do ciclone Tauktae por Gujarat nesta terça-feira, 18. As fortes chuvas e os ventos de até 185 km/h que acompanharam o ciclone também interromperam o abastecimento de energia elétrica de cerca de 2,5 mil aldeias, causaram danos extensos a 16,5 mil casas e derrubaram 40 mil árvores. Os óbitos e danos materiais se somam aos que já tinham sido registrados na segunda-feira, 17, em outros estados ao longo da costa da Índia. Em Maharashtra, pelo menos seis pessoas morreram e nove ficaram feridas, enquanto em Karnataka foram registradas oito vítimas fatais. O Tauktae forçou as autoridades a evacuarem 200 mil pessoas em Gujarat e 12 mil em Maharashtra, sendo que a Marinha ainda teve que resgatar 177 pessoas que estavam em barcos no Mar Arábico. O ciclone atingiu a Índia em um momento crítico da segunda onda da pandemia do coronavírus, forçando a suspensão dos programas de vacinação e pondo em risco os hospitais. Felizmente, o ciclone enfraqueceu após atravessar a costa e, segundo o último relatório do IMD, a velocidade do vento baixou para entre 75 km/h e 85 km/h, com rajadas de até 95 km/h.