Indonésia pede distância de 500 metros da costa atingida por tsunami

  • Por Jovem Pan
  • 26/12/2018 14h31
EFEAtividade vulcânica tem deixado país em alerta

O governo da Indonésia pediu que a população e os turistas evitem a costa atingida por um tsunami que matou mais de 400 pessoas no fim de semana. A Agência de Meteorologia do país recomentou distância de 500 metros das praias do Estreito de Sunda, já que tempestades continuam prejudicando a situação de toda a região.

“Todas essas condições têm potencial para causar deslizamentos de terra nas montanhas, e tememos que isso possa desencadear um tsunami”, explicou a líder da agência, Dwikorita Karnawati, durante entrevista coletiva. Ela também pediu, por meio da imprensa, que as comunidades locais permaneçam em alerta e não entrem em pânico.

As ondas gigantes atingiram a costa indonésia na noite de sábado (22), deixando mais de 1,5 feridos. Uma das causas apontadas para o desastre natural é a erupção do vulcão Anak Krakatoa, que teria causado deslizamentos de terra na encosta e embaixo d’água, fazendo com que a água se deslocasse com força em direção da terra.

Mau tempo

As equipes de resgate do país enfrentaram chuvas intensas nesta quarta-feira (26) para chegar a áreas remotas do litoral em meio a um alerta de “condições climáticas extremas”. Temporais assolaram vilarejos de pescadores ao longo da costa, cobrindo estradas de lama e atrasando comboios que levam máquinas pesadas e ajuda a locais isolados.

Nuvens de cinzas emanam do Anak Krakatoa, quase obscurecendo a ilha vulcânica. A agência de meteorologia disse que o clima ruim pode fragilizar a cratera do vulcão. De acordo com o balanço mais recente, há 159 desaparecidos. Mais de 21 mil pessoas foram levadas para terrenos mais elevados. Um estado de emergência vigorará até 4 de janeiro.

*Com informações do Estadão Conteúdo