Coronavírus: Irã ultrapassa 60 mil casos e estuda diminuir restrições

  • Por Jovem Pan
  • 06/04/2020 09h48 - Atualizado em 06/04/2020 09h50
Roman Pilipey/EFEAs atividades consideradas de risco ainda não têm data de abertura. Por enquanto e até novo aviso, aulas e qualquer tipo de evento, seja cultural, esportivo ou religioso, permanecem suspensos

Os casos da covid-19 no Irã ultrapassaram os 60 mil nesta segunda-feira (6), com 3.739 mortes, mas a tendência de queda é confirmada com a diminuição do número de novas infecções pelo sétimo dia consecutivo.

O Ministério da Saúde iraniano informou que nas últimas 24 horas foram registradas 2.274 novas infecções, em comparação com 3.186 no último dia 30 de março, quando ocorreu o pico mais alto de casos.

“Nos últimos dias, assistimos uma diminuição do número de novos casos de coronavírus infectados e esperamos continuar com esse progresso”, disse o porta-voz da Saúde, Kianush Yahanpur.

O porta-voz acrescentou que, se os protocolos de higiene e distanciamento social forem mantidos, o Irã “entrará gradualmente no estágio de controle da doença”.

Quanto aos mortos, foram registrados 136 novos óbitos de domingo (5) para segunda, devido ao coronavírus, que mantém mais de 4 mil pacientes internados em estado grave no país.

A contagem total de infectados é de 60,5 mil, dos quais 3.739 morreram e 24.236 se recuperaram, segundo dados oficiais.

As autoridades iranianas aumentaram gradualmente as restrições, e atualmente apenas os serviços essenciais permanecem abertos e as viagens entre cidades são proibidas.

A ideia do governo é começar a relaxar algumas dessas medidas a partir do próximo sábado, quando as atividades econômicas de “baixo risco” serão retomadas em todo o país, exceto Teerã, onde a medida será implementada uma semana depois.

As atividades consideradas de risco ainda não têm data de abertura. Por enquanto e até novo aviso, aulas e qualquer tipo de evento, seja cultural, esportivo ou religioso, permanecem suspensos, enquanto os santuários xiitas também permanecem fechados.

O Irã tenta conter a pandemia e também impedir o colapso de sua economia, que foi gravemente danificada desde que os Estados Unidos impuseram novamente sanções ao país há dois anos.

*Com informações da EFE