Joe Biden é acusado novamente de assédio

  • Por Jovem Pan
  • 02/04/2019 14h03
EFEBiden havia sido acusado dias antes de ter beijado a cabeça de Lucy Flores, candidata ao vice-governo de Nevada, sem o seu consentimento

O ex-vice-presidente e potencial candidato democrata à presidência americana, Joe Biden, foi acusado novamente de assédio. Uma mulher o acusou na segunda-feira, 1º, de tê-la tocado de forma inadequada, embora “não sexual”, durante um evento de arrecadação de fundos em 2009.

Amy Lappos é a segunda a acusar Biden, que foi vice-presidente de Barack Obama, após revelação feita na semana passada pela ex-congressista do estado de Nevada, Lucy Flores.

Segundo narrou Lappos, de 43 anos, Biden aproximou-se dela durante um ato de arrecadação de fundos para o congressista Jim Himes e o deixou “muito incomodada” com seu comportamento. “Não foi sexual, mas agarrou minha cabeça”, relatou a mulher.

“Ele colocou a mão em volta do meu pescoço e me puxou para esfregar o nariz com o meu, quando ele estava me puxando, eu pensei que ele ia me beijar na boca”, completou.

A revelação de Amy acontece dias após Lucy Flores acusar Biden de tê-la beijado na cabeça sem o seu consentimento durante a campanha às eleições legislativas e estaduais de 2014.

Ela explicou que em um ato da sua campanha ao vice-governo de Nevada sentiu “duas mãos” nos seus ombros e pensou: “o que o vice-presidente dos Estados Unidos está fazendo comigo?”.

“Ele começou a me dar um beijo grande e lento na minha cabeça, meu cérebro não conseguia processar o que estava acontecendo, eu me sentia constrangida, fiquei surpresa, fiquei confusa”, explicou a mulher, que foi congressista estadual entre 2011 e 2015.

Em resposta a Lucy, Biden disse em um comunicado recordar o que aconteceu, mas de outra maneira.

“Durante muitos anos fazendo campanhas políticas e na vida pública, dei inúmeros apertos de mãos, abraços, expressões de carinho, apoio e consolo. E nem uma só vez – nunca – acreditei que tenha agido inapropriadamente. Nunca foi a minha intenção”, afirmou.

Essas acusações poderiam colocar em risco as aspirações presidenciais de Biden, que, sem ter formalizado sua candidatura, lidera as pesquisas entre os eleitores democratas há meses.

*Com EFE