Jovem australiana viveu seis anos sendo consumida por parasita

  • Por Jovem Pan
  • 01/11/2017 12h01
Reprodução/TV 7 News Verme Gnathostoma foi ingerido durante viagem às Ilhas Fiji

Uma adolescente australiana viveu por seis anos com um parasita consumindo seu corpo internamente.

“Os pés e as mãos ardiam, parecia um ácido. Sentia meus músculos rasgando, parecia que eles iriam se desfazer”, contou a jovem Carly Goff, diagnosticada com gnatostomíase, em entrevista ao canal 7 News.

Durante escavações no corpo de Carly, o parasita se tornou visível em uma de suas mãos. “Ele (o verme) tem dentes e se move ao mastigar tecidos e músculos destruindo por onde passa”, relata.

Durante dois meses ela foi tratada com comprimidos para vermes que matam o parasita de fome. Agora, ela está terminando o tratamento, diz a reportagem.

Ela foi diagnosticada com o verme potencialmente mortal Gnathostoma, que causa a gnatostomíase. Ele é encontrado no sudeste asiático, especialmente na Tailândia, nas Américas Central e do Sul e em partes da África.

A doença de Carly se deu quando ela comeu um peixe mal cozido contaminado com o parasita durante viagem de barco com a família às ilhas Fiji.

O parasita pode ser contraído ao se consumir peixes de água doce, frango, enguias, sapos e répteis crus ou malcozidos. A larva pode se hospedar em qualquer órgão ou sistema do corpo humano, como pulmões, cérebro, bexiqa e fígado.