Jovem japonês que desmembrou 9 pessoas é formalmente acusado de assassinato

  • Por Agência EFE
  • 10/09/2018 07h35
Reprodução Takahiro Shiraishi, de 27 anos, admitiu ter matado e esquartejado oito mulheres e um homem

A Promotoria do Japão acusou nesta segunda-feira de assassinato o jovem japonês que matou e desmembrou nove pessoas em seu apartamento no final de 2017, após determinar que ele possui plenas faculdades mentais e, por isso, é criminalmente responsável.

A acusação, divulgada pela agência de notícias “Kyodo”, foi feita depois de cinco meses de testes psiquiátricos com Takahiro Shiraishi, de 27 anos, que admitiu ter matado e esquartejado oito mulheres e um homem, dentre 15 e 26 anos, entre agosto e outubro de 2017 em seu apartamento de Zama, na cidade de Kanagawa, ao sul de Tóquio.

O acusado entrou em contato através do Twitter com as mulheres depois que estas manifestaram na rede social sua intenção de se suicidar e as atraiu para sua casa oferecendo-lhes ajuda para morrer.

O único homem era o companheiro de uma das vítimas, que entrou em contato com Shiraishi após o desaparecimento de sua namorada.

Os assassinatos foram revelados em outubro de 2017, quando a Polícia encontrou os corpos dentro de caixas e geladeiras portáteis na casa do jovem enquanto averiguava o desaparecimento de uma mulher de 23 anos de Tóquio, cujo cadáver estava entre os encontrados.

O roubo de dinheiro foi uma das razões que motivaram os assassinatos, bem como enganar algumas das mulheres com o propósito de abusar sexualmente delas, segundo os detalhes do caso revelados pela imprensa nacional.

A Promotoria japonesa decidiu submeter Shiraishi a um exame psiquiátrico antes de acusá-lo formalmente, visto que se espera que seu estado mental no momento de cometer os crimes será um dos pontos centrais do julgamento.