Líder catalão diz que região “ganhou o direito de se tornar um Estado”

  • Por Estadão Conteúdo
  • 01/10/2017 19h15
EFECarles Puigdemont se pronunciou após o fechamento dos locais de votação

O presidente regional da Catalunha, Carles Puigdemont, disse que a região “ganhou o direito de se tornar um Estado independente” após a votação realizada neste domingo (1º). Em um discurso televisionado após o fechamento dos locais de votação, Puigdemont afirmou que “hoje o Estado espanhol escreveu outra página vergonhosa em sua história com a Catalunha”.

A polícia espanhola tentou parar o referendo sobre a independência da Catalunha, utilizando da força em algumas ocasiões. De acordo com as autoridades catalãs, ao menos 884 pessoas e 33 policiais ficaram feridos durante a votação. O referendo foi considerado ilegal pelo governo central de Madri, além de ter sido proibido pelo Tribunal Constitucional da Espanha.

Em seu discurso, Puigdemont disse que irá “fazer um apelo direto à União Europeia” para examinar as supostas violações dos direitos humanos pelo governo espanhol. O ministro de Relações Exteriores do país, Alfonso Dastis, afirmou que a violência vista foi “infeliz e desagradável”, mas ponderou ao dizer que houve um uso proporcional da força, e não uma violência excessiva. “Foi uma reação à situação que os policiais enfrentaram quando foram impedidos de trabalhar”, comentou o ministro.