Macri sobre reação do mercado às eleições primárias na Argentina: ‘Kirchnerismo não tem credibilidade’

O peso desabou nesta segunda após a derrota do presidente

  • Por Jovem Pan
  • 12/08/2019 17h40
EFE"Hoje tivemos um dia muito ruim, estamos mais pobres", lamentou o presidente

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, disse nesta segunda-feira (12), em entrevista coletiva, que o kirchnerismo “não tem credibilidade no mundo”. A declaração foi feita ao comentar a rápida (e negativa) reação dos mercados ao resultado das eleições primárias do último domingo (11) no País.

“Os votos contra nós representam descontentamento com as medidas dos últimos anos”, admitiu Macri, defendendo a necessidade do ajuste conduzido por sua gestão para dar mais condições ao crescimento econômico futuro. Segundo ele, a eleição de 27 de outubro “será a oportunidade para mostrar que a mudança continua”.

Nesta segunda, a vitória por 15 pontos porcentuais de diferença da chapa encabeçada por Alberto Fernández e com Cristina como vice provocou forte movimento de fuga de ativos do país, com mínimas recordes do peso argentino. “Hoje tivemos um dia muito ruim, estamos mais pobres”, comentou.

O presidente disse que orientou sua equipe econômica a adotar medidas para “cuidar dos argentinos”, impedindo que o processo eleitoral imponha ainda mais problemas a uma economia já fragilizada. Ao mesmo tempo, argumentou que a reação negativa nos mercados era culpa dos oposicionistas, que não se colocavam como uma opção capaz de atrair a confiança dos mercados, o que provocou alta nos risco-país, queda das ações e do peso. “O mundo econômico não confia no kirchnerismo”, resumiu.

Macri afirmou que trabalha com sua equipe para que o processo eleitoral ocorra com o mínimo de sobressaltos. Ele disse a repórteres que prepara medidas econômicas com esse fim, mas que não podia detalhá-las naquele momento porque elas não estavam prontas.

*Com Estadão Conteúdo