Macroprocesso contra Volkswagen por manipulação de dados de poluentes começa nesta segunda

Segundo a empresa, aproximadamente 11 milhões de veículos tinham em seu software comandos que maquiavam os dados das emissões de óxidos de nitrogênio, mas apenas durante os testes

  • Por Jovem Pan
  • 30/09/2019 14h59
Justiça alemã inicia audiências de mega processo contra a multinacional Volkswagen

A audiência do macroprocesso contra a fabricante alemã Volkswagen pelo escândalo da manipulação de emissões de poluentes em carros a diesel, que ficou conhecido como ‘dieselgate’, teve início nesta segunda-feira (30), na Alemanha, com o objetivo de responder aos cerca de 60 objetos de litígio.

Em comunicado, a Audiência Territorial de Braunschweig lembra que a Associação Alemã de Organizações de Consumidores (VZBV) procura com o processo coletivo esclarecer questões de fato e de direito, importantes para as reivindicações de indenização dos usuários.

Nesse processo, não serão analisadas as mais de 60 mil ações individuais, mas a decisão terá caráter vinculativo para os clientes que se juntaram à ação coletiva.

O juiz, Michael Neef, afirmou que as duas partes terão oportunidades suficientes para defender as suas posturas e que as questões controversas serão abordadas em particular com todas as partes para resolvê-las o mais rápido possível.

A ação coletiva contra a fabricante automobilística alemã foi apresentada em 1º de novembro do ano passado pela VZBV com o objetivo de determinar se os afetados têm direito a uma indenização e qual a quantia.

O processo se refere a veículos das marcas Volkswagen, Audi, Seat e Skoda com motores diesel do tipo EA 189, equipado com um dispositivo de desligamento.

Os carros saíam de fábrica emitindo mais poluentes do que o permitido por lei, mas a empresa instalou um software que fazia com que os números fossem maquiados para se adequarem.

É o primeiro macroprocesso em tribunais da Alemanha, depois de uma reforma legal aprovada em novembro de 2018, e a Volkswagen advertiu que o caso pode durar anos.

Segundo o Escritório Federal de Justiça da Alemanha, até a última quinta-feira (26), mais de 400 mil motoristas haviam se juntado ao processo, e esse número pode ter subido, já que ainda era possível se apresentar para o grupo até domingo (29). Em janeiro deste ano, o número de pessoas que haviam processo a multinacional já chegava a 300 mil.

A Volkswagen revelou que aproximadamente 11 milhões de veículos no mundo todo – 2,5 milhões na Alemanha – tinham em seu software comandos que maquiavam os dados das emissões de óxidos de nitrogênio (NOx) apenas durante testes em laboratório.

*Com informações da EFE