Manifestantes e polícia se enfrentam em protesto separatista em Barcelona

Cerca de 525 mil pessoas participam do quarto dia seguido de protestos

  • Por Jovem Pan
  • 18/10/2019 15h58
EFE/Quique GarcíaManifestantes são contra a condenação de nove líderes separatistas à prisão

Nesta sexta-feira (18), cerca de 525 mil pessoas participam do quarto dia seguido de protestos em Barcelona, na Espanha, contra a condenação de nove líderes separatistas à prisão, feita nesta segunda-feira. Foram registrados confrontos entre manifestantes e policiais em ruas próximas ao ponto central do protesto.

Pelo menos três pessoas que haviam jogado pedras e garrafas na direção dos agentes foram presas. A intenção era chegar à sede local da chefia da Polícia Nacional, mas os agentes os impediram e usaram furgões para forçar a dispersão.

Organizadores afirmaram que o ato desta sexta será o ápice de sua mobilização contra a condenação de seus líderes pela Justiça espanhola. Desde o início da onda de violência na segunda, mais de 110 pessoas foram presas, e 200 policiais ficaram feridos, de acordo com a polícia e o Ministério do Interior.

A greve foi convocada pelos sindicatos minoritários independentistas Intersindical-CSC e Intersindical Alternativa da Catalunha (IAC).

A maior parte dos manifestantes, que chegou a Barcelona em cinco grandes passeatas que saíram de várias partes da Catalunha, se concentrou no centro da capital regional. Um manifesto foi lido por Elisenda Paluzie, presidente da organização independentista Assembleia Nacional da Catalunha (ANC), para defender uma nova declaração unilateral de independência, como ocorreu em outubro de 2017.

Prejuízos econômicos

A greve foi convocada pelos sindicatos minoritários independentistas Intersindical-CSC e Intersindical Alternativa da Catalunha (IAC). A adesão foi de menos de 50% na maioria dos setores públicos, e maior em universidades (90%) e no comércio (de 60% a 80%), segundo dados oficiais do governo regional catalão.

A Confederação Espanhola de Transporte de Mercadorias (CETM) calcula em 25 milhões de euros (R$ 115 milhões) o prejuízo diário por causa da série de bloqueios em rodovias catalãs durante a semana.

O presidente da Câmara de Comércio da Espanha, o catalão José Luis Bonet, advertiu sobre o “prejuízo evidente” que o processo independentista “causou e continua causando à economia” da Catalunha e pediu que a região “recupere o consenso e supere a fratura” política e social.

* EFE