Médicos se confundem e amputam perna errada de mulher na Argentina

Magdalena Leguizamón deveria ter parte de um membro retirada por conta de uma infecção, mas acabou perdendo o outro inteiro

  • Por Jovem Pan
  • 24/07/2019 19h34
Filhas da idosa de 66 anos decidiram denunciar o caso no Ministério Público

Uma idosa de 66 anos teve a perna errada amputada por médicos do hospital Nuevo Sanatorio Berazategui, localizado na região metropolitana de Buenos Aires, na Argentina. Segundo a família, os profissionais não souberam dizer o que ocorreu.

Magdalena Leguizamón foi internada no último dia 16 de julho por uma infecção no pé direito, e um de seus dedos acabou sendo amputado por necrose. A cirurgia, porém, não conteve o problema, o que fez com que os médicos sugerissem a amputação da perna direita para evitar que a infecção se espalhasse ainda mais pelo corpo da idosa.

“Ela entrou na sala de cirurgia sabendo que continuariam com o procedimento na mesma perna da qual tinham amputado o primeiro dedo. Quando a acomodaram na cama, minha irmã se deu conta que não tocaram nesse pé, que tinham cortado a perna errada”, explicou Claudia.

A família de Magdalena afirmou que nem o médico nem os diretores da clínica souberam dar explicações sobre o que ocorreu. Foi então que as filhas da mulher decidiram denunciar o caso no Ministério Público.

Magdalena também foi levada a outro hospital, na cidade de Quilmes, também na região metropolitana de Buenos Aires.

Por enquanto, o Nuevo Sanatorio Berazategui não explicou o caso. Pessoas próximas de Magdalena, porém, pedem que médico seja punido pela negligência para que outras pessoas não passem pela mesma situação.

“Ela está bem, estável, com um humor muito bom. Percebeu o que fizeram, mas os médicos lhe disseram que, por enquanto, não vai haver outra amputação, que há possibilidade de salvar o outro membro, diferente do que nos disseram no outro hospital”, assinalou Claudia.

O caso será investigado por promotores de Berazategui. O Programa de Atendimento Médico Integral do Instituto Nacional de Serviços Sociais para Aposentados e Pensionistas (Pami) decidiu suspender de forma preventiva todas as cirurgias traumatológicas de filiados ao órgão programadas para o mesmo hospital que cometeu o erro.

No Twitter, o Pami informou que entrou em contato com as filhas de Magdalena e se colocou à disposição da família. Além disso, o órgão vai fiscalizar o hospital Nuevo Sanatorio Berazategui para determinar quem são os responsáveis pelo erro médico.

Com Agência EFE