Merkel: Alemanha ‘tem a responsabilidade’ de lembrar os crimes do Holocausto

  • Por Jovem Pan
  • 04/10/2018 07h18
EFE"Os judeus na Alemanha sofreram um ódio e violência que nunca antes conheceram", disse Merkel

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, escreveu nesta quinta-feira que seu país “tem a responsabilidade de lembrar os crimes do Holocausto e de lutar contra o antissemitismo, a xenofobia, a violência e o ódio”, no livro de visitas do Yad Vashem (Museu do Holocausto), em Jerusalém.

“Os judeus na Alemanha sofreram um ódio e violência que nunca antes conheceram”, acrescentou a governante, durante sua visita ao local, a terceira que realiza ao memorial em lembrança aos 6 milhões de judeus exterminados pelo regime nazista.

Merkel chegou ao museu em meio a fortes medidas de segurança da polícia, que alertou para o fechamento de estradas ao tráfego durante os deslocamentos do comboio da chanceler alemã pela cidade, onde hoje cumpre uma lotada agenda após sua chegada ontem à noite ao país.

Em seguida, ela foi recebida pelo presidente da Universidade de Haifa, o professor Ron Robin, responsável por lhe entregar um Doutorado Honoris Causa e quem a definiu como “uma das líderes mais proeminentes do mundo livre” em um momento “cada vez mais difícil para Ocidente”.

Angela Merkel planejava visitar o Museu de Israel para participar de uma mesa de debate com empresários dos dois países em companhia do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, que a recebeu na noite passada.

Ambos presidirão ainda hoje um encontro intergovernamental G2G bienal que, segundo publicou ontem o jornal “Jerusalem Post”, foi adiado por um ano e meio por causa de divergências de Berlim com a política israelense, na ampliação dos assentamentos em território ocupado e a situação de suas relações com os palestinos.

A cúpula bilateral se concentrará na cooperação em matéria de segurança, ciências, econômica, cultural e cibernética, e incluirá a assinatura de uma série de acordos de entendimento, informou um comunicado oficial.

*Com informações da Agência EFE.