Mike Pompeo diz ter provas de que coronavírus foi criado artificialmente

O setor de inteligência do governo norte-americano, no entanto, já descartou a possibilidade do vírus ter sido criado em laboratórios de Wuhan

  • Por Jovem Pan
  • 03/05/2020 13h58
Ronny Przysucha/EFEMike Pompeo é o atual secretário de estado norte-americano

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, afirmou neste domingo (3) que o governo tem certeza de que o novo coronavírus, que causa a Covid-19, doença que provocou uma pandemia, foi criado artificialmente na China.

“Posso dizer que há uma quantidade significativa de provas de que isso veio de um laboratório em Wuhan”, garantiu o integrante do governo de Donald Trump, em entrevista à emissora americana ABC News.

Pompeo insistiu na ideia ao longo da conversa e chegou a dizer que “os melhores especialistas parecem pensar que (o coronavírus) foi fabricado pelo homem”, em tese semelhante a que foi levantada recentemente pelo presidente do país.

Na última quinta, o próprio escritório do Diretor Nacional de Inteligência dos Estados Unidos descartou taxativamente que o patógeno tenha sido produzido em laboratório.

Quando foi questionado sobre essa posição de funcionários do próprio governo americano, Pompeo tentou voltar atrás e garantiu que estava de acordo com esse consenso do setor de inteligência e que não tem qualquer razão para duvidar que as informações estejam corretas, mas voltou a lamentar a falta transparência sobre o caso.

“O Partido Comunista Chinês segue bloqueando o acesso ao mundo ocidental, aos melhores cientistas do mundo, para averiguar o que aconteceu, exatamente. Precisamos entrar ali. Não temos as amostras do vírus que precisamos”, disse o Secretário de Estado.

Questionado se os Estados Unidos planejam alguma represália contra a China, por supostamente ocultar dados e informações sobre o novo coronavírus, Pompeo falou sobre um risco enorme para o país asiático. “Vamos fazer com que os responsáveis respondam e faremos quando nós decidirmos”, garantiu.

*Com informações da EFE