Ministro revela que Johnson pedirá extensão do Brexit se não houver acordo

  • Por Jovem Pan
  • 16/10/2019 12h11
EFEOs negociadores britânicos e do bloco comunitário continuam os contatos para tentar chegar a um acordo antes da cúpula

O ministro para o Brexit do Reino Unido, Steve Barclay, afirmou nesta quarta-feira (16) que o primeiro-ministro Boris Johnson cumprirá a legislação onde exige a solicitação do adiamento do Brexit se não houver acordo antes do próximo dia 19.

Em declaração perante a comissão parlamentar para saída do país do bloco europeu, Barclay indicou que o líder conservador escreverá uma carta para a União Europeia (UE) solicitando uma prorrogação, se antes de sábado, Londres e Bruxelas não alcançaram um acordo de saída.

“Posso confirmar, como foi indicado de maneira reiterada pelo primeiro-ministro, que em primeiro lugar o Governo cumprirá a lei, e em segundo lugar, cumprirá as garantias dadas ao tribunal (da Escócia) em relação à legislação”, afirmou Barclay, às vésperas da crucial cúpula europeia, convocada para amanhã e sexta-feira.

O ministro do Brexit referiu-se à decisão do Tribunal de Sessões de Edimburgo, no último dia 7, que obriga Johnson a solicitar uma extensão em caso que não houvesse acordo.

O tribunal considerou que o Johnson e o Governo haviam fornecido “garantias inequívocas” de que cumpririam a chamada “lei Benn”, aprovada pelo Parlamento em setembro, que estabelece a necessidade de pedir uma prorrogação das negociações se não houver consenso até o dia 19.

Barclay afirmou que o importante agora é conseguir um acordo com Bruxelas e avaliar, em seguida, se pode ser aprovado no Parlamento. “Esse é o teste em que estamos focados”, acrescentou.

“As questões que temos hoje, do ponto de vista do Governo, é ver como obtemos um acordo e saímos da UE de maneira tranquila e ordenada, pois o primeiro-ministro e o governo estão absolutamente comprometidos em sair em 31 de outubro”, disse.

Os negociadores britânicos e do bloco comunitário continuam os contatos para tentar chegar a um acordo antes da cúpula, que em princípio deve aprovar esse texto.

As negociações receberam um impulso positivo nos últimos dias, após uma reunião entre o primeiro-ministro da Irlanda, Leo Varadkar, e Johnson, na semana passada.

O grande obstáculo das conversas continua sendo como evitar uma fronteira difícil entre as duas Irlandas, para não prejudicar o processo de paz na província britânica e na economia.

O premier, que repetidamente disse preferir estar “morto em um fosso” do que pedir uma prorrogação a Bruxelas, realizada nesta quarta uma reunião de seu gabinete, onde informará aos seus ministros sobre o andamento dos contatos com o bloco comunitário.

Pela chamada “lei Benn”, Johnson é obrigado a pedir uma prorrogação do Brexit se não houver uma acordo até o próximo sábado.

*Com informações da EFE