Moçambique: Bombeiros brasileiros mostram resgates após ciclone Kenneth

  • Por Jovem Pan
  • 28/04/2019 16h34
Divulgação/Corpo de BombeirosBombeiros brasileiros em ação para auxiliar vítimas do ciclone Kenneth

Os bombeiros brasileiros que atuaram em Brumadinho e foram deslocados para Moçambique no auxílio após o ciclone Idai seguem os trabalhos, já que a região foi atingida por um novo ciclone, batizado de Kenneth.

O governo brasileiro optou por deslocar uma das equipes de ajuda humanitária para locais em que o Kenneth mostrou sua devastação. Neste domingo (28), o Corpo de Bombeiros mostrou algumas fotos de resgate em regiões alagadas, prestando socorro a famílias inteiras.

Ao menos 100 pessoas foram atendidas e direcionadas a áreas mais seguras.

Cerca de 3,3 mil casas ficaram parcial ou completamente destruídas, segundo o Instituto de Gestão de Situações de Emergência. Pelo menos 18 mil pessoas estão em abrigos de emergência.

A equipe de salvamento brasileira é composta por 40 bombeiros militares da Força Nacional de Segurança Pública e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Minas Gerais. De acordo com o Itamaraty, o grupo é o único contingente internacional com treinamento específico em busca e salvamento que se encontra atualmente em Moçambique.

O governo brasileiro também forneceu a Moçambique mapas das regiões afetadas, obtidos da rede de satélites da International Charter Space and Major Disasters, para auxiliar nas operações de resgate.

Ciclone Kenneth

O ciclone Kenneth registrou rajadas de vento de 280 km/h e um acúmulo de chuva de 100 a 150 mm de água em apenas um dia. Ele atingiu Moçambique com uma força superior ao ciclone Idai, que no dia 14 de março deixou mais de mil mortos no centro do país e no Zimbábue.

O Kenneth, neste sábado (27), já foi rebaixado a uma depressão tropical e foi “bloqueado” na província de Cabo Delgado, no Moçambique, onde poderá permanecer por, pelo menos, dois dias.