Mulher morre em protesto contra aumento no combustível na França

  • Por Jovem Pan
  • 17/11/2018 16h08
CHRISTOPHE PETIT TESSONMovimento à frente das manifestações é como "coletes amarelos"

Mais de duas mil manifestações com 124 mil participantes aconteceram simultaneamente em diferentes cidades da França, neste sábado (17), contra o aumento anunciado nos preços dos combustíveis. Durante os protestos, uma mulher morreu e 47 pessoas ficaram feridas.

A vítima mortal tinha cerca de 60 anos e foi atropelada em Le Pont-de-Beauvoisin, região sudeste do país. Segundo as autoridades, a maioria dos protestos não tinha sido informada às instituições de segurança, o que dificultou o controle policial. O Ministério do Interior informou ainda que ocorreram 24 detenções.

Conhecido como “coletes amarelos”, o movimento à frente das manifestações – crítico às altas cargas tributárias e alheio aos partidos e sindicatos – representa uma nova “pedra no sapato” para o presidente Emmanuel Macron, que recentemente decidiu aumentar os impostos dos combustíveis para promover a transição energética.

Durante os protestos, eles pediram, inclusive, a renúncia de Macron, acusado de se preocupar “somente com a elite” e de deixar a classe média largada. “As minhas filhas, professoras, fazem 83 quilômetros ao dia. A despesa em gasolina vai aumentar em 60 euro”, lamentou François, aposentado e participante do movimento.

*Com informações da EFE