Nicholas é rebaixado para categoria de tempestade tropical no Texas

Pelo menos 200 mil casas estão sem energia e a expectativa é de que fenômeno perca força enquanto avança para dentro dos EUA

  • Por Jovem Pan
  • 14/09/2021 13h23
EFE/ NOAA-NHCNicholas tocou solo dos EUA como furacão, mas se tornou tempestade tropical

Após tocar o solo do Texas como furacão de categoria 1, o Nicholas enfraqueceu, foi rebaixado para categoria de tempestade tropical e se move lentamente para a direção norte-nordeste dos Estados Unidos nesta terça-feira, 14. O Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC, na sigla em inglês) alertou para o risco de inundações perigosas, especialmente em áreas dos estados do Texas e Louisiana, e em menor grau no Mississippi e Alabama. Cerca de quatro horas depois de tocar terra, a tempestade tropical estava localizada a cerca de 50 km ao sul-sudoeste de Houston, Texas, e exibia ventos máximos sustentados de 110 km/h e chuvas fortes. Nicholas estava se movendo a 15 km/h para o norte-nordeste e avançará ainda mais lentamente quando virar primeiro para o nordeste e depois para o leste amanhã sobre a Louisiana, que ainda se recupera dos danos causados pelo furacão Elsa, que deixou mais de um milhão de casas sem energia elétrica e um rastro de morte no sul do país.

As previsões do NHC são de que os ventos máximos de Nicholas irão enfraquecer ainda mais e provavelmente se transformarão em uma depressão tropical nesta quarta-feira. Os ventos com força de tempestade tropical se estendem por até 205 km do centro. Mesmo rebaixado à categoria de tempestade tropical, Nicholas deve produzir fortes chuvas em seções da costa do Texas e no sudoeste da Louisiana até meados da semana, bem como subidas do nível do mar de até 1,50 m, alguns tornados e tempestades. Existem vários avisos em vigor para a costa do Texas e parte da costa da Louisiana para Nicholas. No início desta manhã, mais de 200 mil residências, escritórios e empresas no Texas estavam sem energia devido a Nicholas, a maioria delas na área metropolitana de Houston.

*Com informações da EFE