Nova Zelândia aprova mudança na posse de armas

  • Por Jovem Pan
  • 10/04/2019 15h00
EFE"Colocamos fim a uma anomalia", disse a primeira-ministra do país após a votação

O parlamento da Nova Zelândia aprovou aprovou nesta quarta-feira, 10, uma mudança na legislação do país que restringe a posse de armas semiautomáticas. A medida foi aprovada menos de um mês depois dos atentatos contra duas mesquitas em Christchurch que deixou 50 mortos. Duas das armas utilizadas pelo autor eram semiautomáticas.

O projeto de lei foi aprovado por 119 votos a favor e um contra na terceira leitura da lei realizada na sessão vespertina do parlamento neozelandês.

Depois da votação, a primeira-ministra do país, Jacinda Arden, disse que o país colocou fim em uma anomalia. “A Nova Zelândia se destaca pela disponibilidade generalizada de armas de potencial claramente destrutivo, mas hoje colocamos fim a essa anomalia”, declarou.

Ardern tinha solicitado uma mudança na lei imediatamente depois dos atentados.

“Em última instância, estamos aqui porque 50 pessoas morreram e elas já não têm uma voz. Nós, os membros desta Câmara, somos sua voz e hoje a utilizamos sabiamente”, disse Ardern.

A emenda de lei já tinha sido aprovada em primeira votação. Com a aprovação de hoje, o projeto pode ser encaminhado para ser ratificado pela governadora-geral, Patsy Reddy, representante da rainha Elizabeth II na nação da Oceania, antes de entrar em vigor.

Tarrant, que transmitiu o ataque durante 17 minutos nas redes sociais e publicou na internet seu ideal extremista, enfrenta em um tribunal neozelandês 50 acusações de assassinato e 39 de tentativa de assassinato.

O suposto terrorista, que não tinha antecedentes criminais, residia na cidade de Dunedin, situada 400 quilômetros ao sul de Christchurch, e obteve a licença de armas em novembro de 2017, após cumprir com os requisitos legais.

*Com EFE