Nova Zelândia: Ministro da Saúde pede demissão após desrespeitar confinamento

David Clark já havia pedido afastamento do cargo há três meses, mas a renúncia, na época, foi rejeitada pela primeira-ministra Jacinda Ardern

  • Por Jovem Pan
  • 02/07/2020 10h36 - Atualizado em 02/07/2020 10h40
EFEA primeira-ministra, Jacinda Ardern, confirmou a saída de David Clark do cargo no ministério da saúde

O ministro da Saúde da Nova Zelândia, David Clark, pediu demissão após receber amplas críticas por desrespeitas o o confinamento da Covid-19, no mês de abril. Apesar da sua gestão bem-sucedida no combate a pandemia, a autoridade teve sua saída confirmada nesta quinta-feira (2) pela primeira-ministra, Jacinda Ardern.

“Infelizmente, foi uma distração para nossa resposta [ao vírus] e era algo que não podia ser sustentado”, disse Ardern a jornalistas. Clark já havia se demitido há três meses, após reconhecer publicamente ter ido a praia com sua família em 7 de abril, período de estágio crítico da pandemia no país. No entanto, na época, a premier rejeitou a renúncia.

O ministro, que também admitiu ter andado de bicicleta e é acusado de mudar de casa durante as semanas de alerta máximo, será substituído por Chris Hipkin, que estava no comando do Ministério da Educação. Em comunicado, David Clark disse ser o momento certo para sua saída, já que o país está “em um estágio estável, sem indícios de transmissão comunitária do vírus”.

A Nova Zelândia possui, no momento, 22 casos ativos da Covid-19, depois de confirmar um total de 1.178 infectados, incluindo 22 mortes.

*Com informações da EFE