Nova Zelândia remove estátua de capitão britânico acusado de racismo no século 19

  • Por Jovem Pan
  • 12/06/2020 11h33
EFEO governo de Jacinda Ardern removeu o monumento após receber pedido da co-líder do Partido Maori, Debbie Ngarewa-Packer para que "nomes de racistas" fossem retirados

A estátua do capitão britânico John Hamilton, responsável por mortes de Maoris durante conflitos no século 19, foi removida nesta sexta-feira (12) de uma praça da Nova Zelândia. A retirada acontece após um morador Maori declarar que planejava derrubar o monumento durante protestos antirracistas no fim de semana.

A prefeita da cidade de Hamilton, Paula Southgate, admitiu que “um número crescente de pessoas considera a estátua pessoal e culturalmente ofensiva. Não podemos ignorar o que está acontecendo ao redor do mundo”, afirmou à “Radio New Zealand”.

A retirada da estátua é parte de uma resposta mundial que desencadeada no início deste mês com a morte do americano George Floyd, um homem negro de 46 anos, e que provocou marchas contra o racismo e a retirada de símbolos ligados à opressão das minorias.

Na Nova Zelândia, cujo nome Maori é Aotearoa, existem centenas de estátuas relacionadas à colônia britânica, em comparação com o reconhecimento quase zero dos Maoris. Por isso, a co-líder do Partido Maori, Debbie Ngarewa-Packer, pediu que o governo de Jacinda Ardern removesse os monumentos e referências.

“Temos filhos, que crescem orgulhosos de quem são, aprendendo nossa história e depois vemos ruas e parques com nomes de racistas que mataram seus antepassados”, disse a representante Maori.

*Com informações da EFE