Odebrecht assina acordo de delação premiada com o Peru

  • Por Jovem Pan
  • 09/12/2018 08h58 - Atualizado em 09/12/2018 08h59
Agência EFEO acordo de delação premiada da Odebrecht no Peru tem mais de 150 páginas, segundo a imprensa local

A construtora Odebrecht fechou acordo de delação premiada com autoridades do Peru neste sábado (8). Com isso, a empresa poderá oferecer informações sobre casos de corrupção no país, assim como fez no Brasil no âmbito da Operação Lava Jato.

O acordo permitirá também a entrega de documentos dos servidores My Web Day e Drousys, empregados pelo Departamento de Operações Estruturadas da Odebrecht. O setor se encarregou da coordenação do pagamento de subornos a funcionários e repasses a campanhas políticas.

Segundo o jornal La República, um promotor peruano virá ao Brasil. Ele vai tentar ampliar o interrogatório do ex-presidente da Odebrecht Jorge Barata sobre as investigações de lavagem de dinheiro contra o ex-presidente Alan García e a líder opositora Keiko Fujimori.

Já o jornal econômico Gestión acrescentou que o acordo de colaboração tem mais de 150 páginas. No documento, a empresa admite o pagamento de subornos para celebrar sete contratos de cinco obras no país.

Por causa do escândalo de subornos envolvendo a Odebrecht no Peru, os ex-presidentes do país Alejandro Toledo (2001-2006), Alan García (1985-1990, 2006-2011), Ollanta Humala (2011-2016) e Pedro Pablo Kuczynski (2016-2018), são investigados. Também está sob a mira do Ministério Público a ex-candidata presidencial e líder opositora Keiko Fujimori, que está presa preventivamente.

*Com informações da Agência EFE