Otan aumenta medidas de segurança e anuncia novo apoio militar à Ucrânia

Em reunião com líderes ocidentais, Jens Stoltenberg falou que vai dar ‘assistência contra ataques cibernéticos e proteção para ameaças biológicas, químicas e até nucleares’

  • Por Jovem Pan
  • 24/03/2022 11h28
JOHN THYS / AFP Secretario Geral da Otan Jens Stoltenberg fala que entrada da Rússia nas regiões separatistas é a invasão de um país que já estava invadido

Durante reunião com líderes ocidentais, G7 e União Europeia, o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg anunciou um novo apoio militar para a Ucrânia e novas medidas de segurança para a aliança. “Hoje os líderes da Otan concordaram em aumentar a nossa defesa no longo prazo para aumentar nossa segurança”, disse. “Estamos remodelando a defesa da Otan para longo prazo, vamos aumentar nossa presença no Leste”, completou informando que quatro novos grupos de batalha estão sendo enviados para a Bulgária, Hungria, Romênia e Eslováquia com objetivo de reforçar as defesas da Otan em defesa de uma eventual expansão da campanha militar russa. “A invasão russa à Ucrânia mudou nosso ambiente de segurança para o longo prazo. É uma nova segurança, um novo normal e estamos respondendo a longo prazo”, disse o secretário-geral.

Stoltenberg também falou sobre as novas ajudas que vão ser enviadas para a Ucrânia. “Concordamos em aumentar o apoio com suprimentos militares, defesas anti-tanque, anti aérea e drones que se mostraram bastante eficazes”, informou. “Vamos dar assistência contra ataques cibernéticos e proteção contra ameaças biológicas, químicas e até nucleares”, completou. Durante sua fala, Stoltenberg disse que essas medidas estão sendo adotadas porque assim como o resto do mundo, eles estão “condenando essa guerra brutal contra a Ucrânia”. O secretária-geral também pediu à China que não dê apoio militar ou econômico à invasão e disse que “Pequim deveria usar sua influência para arrumar uma solução pacífica”.

A reunião contou com a participação, por videoconferência, do presidente ucraniano, Volodymyr Zelesky, que discursou para todos. Durante sua fala, o líder da Ucrânia pediu ajuda militar sem restrições para que o país consiga se defender do exército russo. “Para salvar a população e nossas cidades, a Ucrânia precisa de ajuda militar sem restrições. Assim como a Rússia utiliza, sem restrições, todo seu arsenal contra nós”, declarou Zelensky que também falou que há um mês o exército ucraniano está resistindo a desiguais. O presidente ucraniano também reiterou os pedidos de caças e tanques. “Vocês têm milhares de aviões de combate. Mas ainda não nos entregaram nenhum”, disse. “Eles têm pelo menos 20.000 tanques… A Ucrânia pediu 1% de todos os seus tanques! Entreguem ou vendam! Mas continuamos sem uma resposta clara”, completou.