Papa Francisco faz apelo para que jovens ‘declarem guerra’ ao bullying

  • Por Jovem Pan
  • 21/06/2019 14h10
EFE/EPA/FABIO FALCIONILíder católico explicou que assédio "é um fenômeno de autocompensação, de autovalorização, quando o indivíduo não se encontra, mas diminui o outro para se sentir maior"

Em um pronunciamento feito em vídeo nesta sexta (21), o papa Francisco pediu aos jovens do mundo que declarem “guerra ao bullying”. A fala foi motivada pela iniciativa da fundação pontifícia Scholas Occurrentes, que abordará, através de debates na internet, o problema do bullying e do assédio virtual por 24 horas.

O líder da Igreja Católica explicou que o assédio “é um fenômeno de autocompensação, de autovalorização, quando o indivíduo não se encontra, mas diminui o outro para se sentir maior”.

“E quando se reúnem em grupos, no colégio, nos bairros, onde for, acontecem estas expressões de agressão, de assédio, se vê a pobreza da própria identidade de quem agride, que necessita agredir para se sentir uma pessoa”, acrescentou Francisco.

Mas para o pontífice, “na farmácia não vendem remédios” contra o assédio, portanto, exortou os jovens a declararem guerra a ele “compartilhando, convivendo, dialogando, escutando o outro, separar um tempo para caminhar juntos, porque é o tempo que constrói a relação”.

“Escolham o diálogo, escolham o caminhar juntos, optem pela paciência de escutar o outro. Então será uma paz forte, e essa mesma paz forte fará com que descubram a própria dignidade”, recomendou o papa aos jovens.

Durante estas 24 horas, mais de 130 conferencistas, que iniciarão uma conversa sobre “como prevenir e combater o assédio e o assédio virtual em nível mundial e jovens de mais de 20 países tomarão a palavra para contar ao mundo o que pensam, o que sentem, como viveram e experimentaram este problema, explicou a Scholas Occurrentes.

Com Agência EFE