Papa pede ‘gestos de ternura’ e diz que pandemia pode ser a chance de construir um futuro melhor

  • Por Jovem Pan
  • 03/04/2020 17h54
DivulgaçãoPapa Francisco se dirigiu aos fiéis em uma mensagem de vídeo

O Papa Francisco se dirigiu nesta sexta-feira por meio de uma mensagem de vídeo a todos os afetados pela pandemia do novo coronavírus com uma mensagem de otimismo, dizendo que a humanidade tem a chance de construir um futuro melhor.

“Juntos, no amor e na paciência, podemos preparar estes dias para um tempo melhor. Eu vos gradeço por me permitirem entrar nas vossas casas. Tenham um gesto de ternura para com aqueles que sofrem, para com as crianças e para com os idosos”, declarou o vídeo religioso.

O pontífice também lembrou dos fiéis que se preparam para um importante momento do catolicismo. A poucos dias do início da Semana Santa, que ele mesmo classificou como “inusitada”, já que todas as liturgias terão que ser celebradas sem público. “No silêncio das nossas cidades, ressoará o Evangelho da Páscoa”, afirmou.

Francisco se disse próximo das famílias que permanecem confinadas em quarentena, de uma forma especial, segundo ele, às crianças e jovens que não podem brincar nas ruas nem ir à escola, assim como a familiares e amigos de vítimas do coronavírus.

“Tenho no meu coração todas as famílias, especialmente aquelas que têm um ente querido doente ou que viveram o luto do coronavírus ou outras causas. Atualmente, penso nas pessoas solitárias, para quem é mais difícil enfrentar estes momentos, especialmente os idosos”, destacou.

Ele também deixou palavras de carinho para doentes, quem sofre problemas econômicos ou está desempregado, aos prisioneiros ou aos sem-teto, e elogiou a generosidade daqueles que estão tratando dos enfermos ou em busca de soluções para a pandemia. “Tantos heróis, todos os dias, todas as horas”. “Este é um momento difícil para todos, para muitos muito difícil. O Papa sabe disso, e com estas palavras quer expressar a sua proximidade e afeto para convosco”, completou.

O líder religioso convocou os fiéis a se manterem próximos da família e dos amigos por meio das tecnologias, com atenção aos que vivem mais isolados. “Vamos ajudar as pessoas que precisam da nossa proximidade. Tentemos, talvez por telefone ou pelas redes sociais, ajudar as pessoas mais solitárias. Rezemos ao Senhor pelas pessoas afetadas na Itália e no mundo. Mesmo que estejamos isolados, o pensamento e o espírito podem ir longe com a criatividade do amor. É o que é necessário”, disse.

* Com EFE