Paris: incêndio em prédio residencial deixa ao menos 10 mortos; fogo teria sido causado após briga de vizinhos

  • Por Jovem Pan
  • 05/02/2019 15h31
EFEEntre os 30 feridos estão oito oficiais do Corpo de Bombeiros

Pelo menos 10 pessoas morreram e cerca de 30 ficaram feridas durante um incêndio em um prédio residencial, na madrugada desta terça-feira (5), em Paris, na França. Autoridades acreditam que o fogo foi intencional. Suspeita, uma moradora foi detida.

As chamas começaram em um dos últimos patamares do edifício de oito andares – e acabaram formando um dos incêndios mais letais registrados na capital francesa nos últimos anos. O prédio está localizado em uma das áreas mais nobres da cidade.

O porta-voz do Corpo de Bombeiros local, capitão Valerian Fuet, declarou à imprensa que entre as mais de 30 pessoas feridas na ocorrência estão pelo menos oito oficiais da corporação. O estado de saúde das vítimas ainda não foi divulgado.

Música alta

O incêndio começou por volta da 1h de terça – 22h de segunda (4), pelo horário de Brasília – e só foi controlado após mais de cinco horas, com o trabalho de quase 200 bombeiros. O prédio que pegou fogo foi construído na década de 1970.

“A princípio, pensamos que era uma briga. Ouvimos uma mulher gritar muito alto”, contou um morador vizinho ao local. “Estava gritando, gritando e saímos. O edifício já estava em chamas.” Essas declarações reformam rumores de discussão entre moradores.

Outras pessoas relataram que a briga teve início quando uma mulher de 40 anos – agora detida – estava ouvindo música em volume alto durante a madrugada. O procurador de Paris, Rémy Heitz, disse que ela “já teve problemas psicológicos”. O caso é investigado.

Autoridades

O presidente da França, Emmanuel Macron, escreveu no Twitter que o país “acordou” comovido. “Nossos pensamentos estão com as vítimas. Na mesma rede social, a prefeita da capital, Anne Hidalgo, também se manifestou e demonstrou solidariedade com as vítimas. “Paris está de luto esta manhã. O balanço é terrível”, afirmou.

O bombeiro Clement Cognon declarou que a corporação ainda precisa revisar os últimos andares do prédio. “Tivemos que fazer diversos resgates, em particular de mais de 10 pessoas que estavam no telhado. No total, retiramos quase 50 pessoas.” Dois edifícios vizinhos também foram esvaziados. O governo organiza alojamentos provisórios.

*Com informações do Estadão Conteúdo