Pizzas, hambúrgueres e fritas voltam às escolas dos EUA por ordem de Trump

  • Por Jovem Pan
  • 17/01/2020 21h38
PixabayNovas regras permitirão que as escolas reduzam a quantidade de verduras e frutas que devem ser incluídas na merenda

Pizzas, hambúrgueres e batatas fritas voltarão a ser servidos nos refeitórios das escolas dos Estados Unidos por ordem do presidente do país, Donald Trump, que revogou nesta sexta-feira (17)  os padrões nutricionais estabelecidos pela ex-primeira-dama Michelle Obama.

O decreto de Trump foi assinado exatamente no dia do aniversário de Michelle, que durante os oito anos do governo de seu marido, Barack Obama, tomou várias medidas para tentar diminuir o programa da obesidade infantil no país.

As novas regras permitirão que as escolas reduzam a quantidade de verduras e frutas que devem ser incluídas na merenda, além de facilitar que ofereçam mais pizzas, hambúrgueres e batatas fritas. Os colégios também poderão diminuir a variedade de alimentos frescos que são colocados na dieta dos alunos.

O decreto foi divulgado hoje por uma das diretorias do Departamento de Agricultura dos EUA, que é responsável por elaborar os cardápios que alimentam quase 30 milhões de estudantes em 99 mil escolas de todo o país.

“As escolas e os distritos escolares nos diziam que havia desperdício de alimentos e que precisavam de uma maior flexibilidade para proporcionar aos estudantes refeições nutritivas e apetitosas. Nós ouvimos eles e fomos trabalhar”, disse o secretário de Agricultura, Sonny Perdue, em comunicado.

As mudanças foram criticadas por entidades preocupadas com a nutrição dos alunos. Uma das que condenou as novas regras foi a Associação para uma América Mais Saudável, presidida pela própria Michelle Obama de forma honorária.

Em comunicado, a diretora da associação, Nancy Roman, afirmou que o decreto é “um passo na direção errada”. “Deixando a política de lado, os cientistas já provaram que devemos incrementar o consumo de frutas e vegetais pelos efeitos favoráveis na saúde, especialmente das crianças”, afirmou.

Outras entidades, porém, celebraram a medida. É o caso do Conselho Nacional da Batata, um grupo que tenta promover o consumo do alimento em todo o país. “A batata contém as quantidades de proteínas, fibras e carboidratos que as crianças em idade escolar precisam para ter sucesso na escola”, disse a organização.

Segundo os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC, na sigla em inglês), mais de 30% dos adultos e 18% das pessoas com idades entre dois e 19 anos são obesas no país.

* Com EFE