Polícia canadense prende mais de 100 manifestantes durante protesto em Ottawa

Protestos são contra medidas sanitárias para conter a Covid-19 e o governo do primeiro-ministro Justin Trudeau

  • Por Jovem Pan
  • 19/02/2022 01h02
Scott Olson / Getty Images / AFP Policial com máscara de gás em frente a manifestante que segura a bandeia do Canadá Manifestantes no Canadá protestaram contra medidas de contenção à Covid-19

Em um encontro tenso, mas sem confrontos, a polícia do Canadá prendeu mais de 100 manifestantes nesta sexta, 18, em Ottawa e rebocou veículos, em uma operação para dispersar protestos liderados por caminhoneiros há mais de três semanas contra medidas de combate à Covid-19. O comandante da polícia, Steve Bell, informou em entrevista coletiva que os manifestantes “foram acusados de múltiplos crimes, entre eles vandalismo.” Bell acrescentou que a operação ocorria “como planejado”, mas levaria “tempo”. “Temos a situação em campo sob controle e continuamos avançando para desobstruir nossas ruas”, acrescentou, confirmando que não houve feridos.

Centenas de policiais se mobilizaram diante dos manifestantes que se recusavam a liberar as ruas do centro de Ottawa, apesar das inúmeras advertências e da proclamação do estado de emergência. Os policiais cercaram a área da manifestação e lentamente apertaram o cerco sobre os manifestantes, mas ainda não haviam chegado à avenida principal, ao redor do prédio do Parlamento. Vários manifestantes foram detidos, a maioria sem resistência. As autoridades continuam a alertar os manifestantes de que devem sair das ruas se não quiserem ser presos. Em algumas avenidas da capital, cobertas de neve recém-caída, foram removidos os primeiros veículos. Um dos líderes do movimento, o militante de extrema-direita Pat King, foi preso no início da tarde de sexta-feira quando deixava a cidade. Em sua conta no Twitter, o movimento ainda tentava convocar a mobilização: “Se você não concorda com os excessos ilegais e sem precedentes do governo, pare de fazer tudo o que está fazendo e faça sua voz ser ouvida. Canadenses, seu país precisa de vocês.”

Inicialmente subestimado pelas autoridades, o movimento de protesto canadense começou no final de janeiro a partir de caminhoneiros que protestavam contra a obrigação de se vacinarem para cruzar a fronteira com os Estados Unidos. As demandas, no entanto, se estenderam depois à rejeição de todas as medidas sanitárias e inclusive ao governo de Justin Trudeau. Este último disse na quinta, 17, que o movimento deixou de ser “pacífico”. Pela primeira vez desde o início do protesto, que acontece em frente ao Parlamento federal, este último permaneceu fechado nesta sexta-feira. Segundo o governo, os bloqueios fronteiriços organizados pelos manifestantes custaram “bilhões de dólares à economia canadense.” Esses bloqueios, em particular o da ponte Ambassador, que conecta Ontário à cidade americana de Detroit, levaram Washington a intervir contra o governo de Trudeau. A cidade de Ottawa, a província de Ontário e todo o Canadá estão em estado de emergência devido a esse movimento de protesto sem precedentes.

*Com informações da AFP