Polícia de Nova York se desculpa por invasão a bar gay em 1969

  • Por Jovem Pan
  • 06/06/2019 17h26
EFE/ Francisco GuascoPolícia de Nova York se desculpou pelos eventos em Stonewall em 1969

O comissário da polícia de Nova York, James P. O’Neill, se desculpou nesta quinta-feira (6) pela invasão ao bar gay Stonewall, em 1969. O episódio ficou marcado como um dos mais importantes momentos da luta pelos direitos civis dos homossexuais.

“Seria irresponsável passar pelo Mês do Orgulho Gay e não falar dos eventos em Stonewall Inn em junho de 1969. O que aconteceu não deveria ter acontecido. As ações do Departamento de Polícia de Nova York foram erradas’, afirmou O’Neill. “As ações e as leis eram discriminatórias e opressivas. Peço desculpas por isso”, disse.

A invasão ao Stonewall aconteceu no dia 28 de junho de 1969. Na ocasião, nove policiais invadiram o bar, alegando que o estabelecimento vendia bebidas alcoólicas sem licença, e expulsaram os clientes, enfilerando-os em uma parede e os obrigando a mostrar os documentos. Os cerca de 200 frequentadores, que em sua maioria eram gays, lésbicas e transgêneros, desafiaram a polícia e encurralaram os agentes dentro do bar, chegando a atirar pedras e garrafas nele.

O episódio foi seguido por dias de protestos nas ruas, que resultaram em mais enfrentamentos com a polícia e prisões. A invasão ao Stonewall, no entanto, não foi um fato isolado: nos anos 1960, era comum que a polícia de Nova York invadisse bares gays e prendesse cross-dressers, muitas vezes com o pretexto de combater a prostituição na cidade.

Durante anos, a comunidade LGBTQI+ de Nova York pediu para que a polícia se desculpasse pelo ato de 1969, o que sempre foi negado. Em 2016, o então comissário William J. Bratton afirmou que não acreditava que um pedido de desculpas fosse necessário.