Portugal registra desaceleração na curva de contágio pela covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 06/04/2020 12h31
EFE/EPA/TIAGO PETINGANo país, 110 mil exames de diagnóstico foram realizados desde 1º de março, conforme anunciado  pelo Secretário de Estado da Saúde

Portugal chegou, nesta segunda-feira (6), a 311 mortes e 11.730 pessoas infectadas pela covid-19, 4% a mais do que no dia anterior, o que demonstra desaceleração na curva de expansão do coronavírus no país.

No total, são 1,1 mil pacientes internados em hospitais portugueses, dos quais 270 em Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

As autoridades de saúde de Portugal estão comprometidas com o isolamento e testes em massa para impedir a propagação da doença.

No país, 110 mil exames de diagnóstico foram realizados desde 1º de março, conforme anunciado  pelo Secretário de Estado da Saúde, António Sales, onde explicou que 54% foram feitos em laboratórios públicos e os restantes 46% em centros privados.

Segundo Sales, Portugal tem capacidade para testar 10,5 mil amostras para cada milhão de habitantes, um dos índices mais altos da Europa.

Outra prioridade do governo é controlar a propagação do vírus nos asilos, uma vez que a taxa de mortalidade por Covid-19 no país atinge 10,5% nas pessoas com mais de 70 anos de idade.

Sindicatos médicos reclamam do aumento de positivos entre os profissionais de saúde e as forças de segurança anunciaram hoje que têm mais de 100 agentes infectados e 500 em quarentena na Polícia e na Guarda Nacional.

Portugal, que acaba de renovar o estado de emergência com medidas mais restritivas, tornou mais protegida a circulação de todos os seus cidadãos durante o período da Páscoa, intensificou os bloqueios das estradas e proibiu reuniões de mais de cinco pessoas.

Durante a última semana, mais de 500 mil trabalhadores foram afetados por despedimentos temporários envolvendo quase 32 mil empresas, de acordo com dados do Ministério do Trabalho português.

Esse regime, que permite reduzir o horário de trabalho ou suspender o contrato, significa uma redução no salário dos trabalhadores para dois terços do total.

*Com informações da EFE