Prefeito de Milão se irrita por aglomeração na Lombardia e dá ultimato

  • Por Jovem Pan
  • 08/05/2020 10h38 - Atualizado em 08/05/2020 10h48
EFEA Itália está na primeira fase de relaxamento de medidas de restrição e confinamento para conter a propagação da covid-19

O prefeito de Milão, Giuseppe Sala, não escondeu a irritação com os moradores da cidade que ocuparam as ruas e foram para a região boêmia de Navigli, onde os bares e restaurantes, supostamente, só poderiam atender pedidos para levar. Um vídeo foi publicado nesta a quinta (7) pela imprensa da Itália.

“Quando se trata de agradecer aos milaneses pelo comportamento virtuoso, eu sou sempre o primeiro a fazer. Gosto disso. Mas há momentos em que você tem que se irritar e este é um deles. As imagens de ontem em Navigli são vergonhosas”, lamentou o governante local.

Ontem, a imprensa local veiculou imagens com centenas de pessoas circulando pela região boêmia da capital da Lombardia. Entre idas e vindas, grupos passeavam e muitos se aglomerando para consumir bebidas alcoólicas na margem dos canais milaneses.

A Itália está na primeira fase de relaxamento de medidas de restrição e confinamento para conter a propagação da covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus. Por enquanto, é autorizada ida à rua para atividade física ou caminhada, para compras, por razões de saúde ou trabalho em serviços já retomados.

“Não sou um político de metáforas. Sou um político de atitudes. Ou as coisas mudam, ou amanhã — e isso é um ultimato — estarei aqui e tomarei medidas. Fecharei o Navigli e impedirei os restaurantes e bares de entregar comida”, afirmou o prefeito, no vídeo que publicou no Facebook.

Un ultimatum

Un ultimatum

Posted by Beppe Sala on Friday, May 8, 2020

 

Nesta quinta-feira, no mais recente boletim divulgado pelo governo da Itália, houve 1.401 novos casos e 274 mortes a mais por Covid-19, sendo cerca da metade registradas na Lombardia.

Isso levantou preocupação para o presidente da região, Attilio Fontana. “É o momento mais delicado, e vejo tanta gente na rua”, lamentou o governante.

*Com informações da EFE