Presidente do Banco Mundial renuncia para se juntar a empresa

  • Por Jovem Pan
  • 07/01/2019 15h24 - Atualizado em 07/01/2019 15h25
DivulgaçãoKim assumiu primeiro mandato no Banco Mundial em 2012

O presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, está planejando renunciar ao cargo em 1º de fevereiro. Ele teria mais três anos de mandato, mas quer de juntar a uma empresa focada em investimentos em infraestrutura.

Inesperada, a renúncia foi anunciada nesta segunda-feira (7) e pode precipitar uma briga entre o governo de Donald Trump e críticos do controle que os Estados Unidos têm no órgão, a maior instituição de financiamento do planeta.

Nova presidência

A atual executiva-chefe do Banco Mundial, Kristalina Georgieva, se tornará presidente interina a partir de fevereiro. Em comunicado sobre a renúncia, a instituição não esclareceu o nome da companhia a que Kim se juntará.

Médico de origem sul-coreana, Kim se tornou presidente do banco em 2012, sendo reconduzido ao cargo em 2016, para um mandato que se encerraria em 2021. Assim, o sucessor não seria indicado na atual gestão de Trump.

Nas sete décadas de história do Banco Mundial, o presidente do órgão sempre foi escolhido por governantes norte-americanos, mas muitos outros países buscaram dar fim ao controle do país sobre a decisão.

*Com informações do Estadão Conteúdo