Protestos contra aumento no combustível deixam mais de 400 feridos na França

  • Por Jovem Pan
  • 18/11/2018 09h16
EFEProtestos na França deixaram mais de 400 feridos e 282 detidos

O governo francês confirmou que 409 pessoas ficaram feridas e 282 foram detidas na tensa jornada de protestos que ocorreu neste sábado (17) em vários pontos do país. O movimento conhecido como “coletes amarelos” se manifestou contra os novos impostos aos combustíveis.

“Esta noite foi agitada. Houve agressões, brigas, facadas”, lamentou o ministro do Interior, Christophe Castaner. Mais de duas mil manifestações com 124 mil participantes aconteceram simultaneamente em diferentes cidades da França. Na manhã deste domingo (18), ainda havia vários pontos de manifestações em rotatórias, pedágios e estradas de todo o país.

Ainda no sábado, o governo já havia confirmado a morte de uma mulher durante os protestos. Ela tinha cerca de 60 anos e foi atropelada em Le Pont-de-Beauvoisin, região sudeste do país. Dos mais de 400 feridos, pelo menos 28 são policiais.

Protestos

Conhecido como “coletes amarelos”, em alusão à peça fluorescente usada pelos manifestantes, o movimento à frente das manifestações – crítico às altas cargas tributárias e alheio aos partidos e sindicatos – representa uma nova “pedra no sapato” para o presidente Emmanuel Macron, que recentemente decidiu aumentar os impostos dos combustíveis para promover a transição energética.

Durante os protestos, eles pediram, inclusive, a renúncia de Macron, acusado de se preocupar “somente com a elite” e de deixar a classe média largada. Eles protestaram, em um primeiro momento, contra a alta tributária, embora a manifestação rapidamente tenha se estendido à falta de poder aquisitivo em geral.

*Com EFE