Após Putin propor referendo, Medvedev renuncia ao cargo de primeiro-ministro russo

Dmitri Medvedev acompanha Vladimir Putin desde 1999. De acordo com o presidente russo, o referendo seria sobre uma série de mudanças na Constituição do país

  • Por Jovem Pan
  • 15/01/2020 13h35 - Atualizado em 16/01/2020 08h16
EFE/ Dmitry Astakhov/Ria NovostiVladimir Putin e Dmitri Medvedev

O primeiro-ministro da Rússia, Dmitri Medvedev, renunciou ao cargo nesta quarta-feira (15), horas após o presidente, Vladimir Putin, propor um referendo sobre uma série de mudanças constitucionais em discurso sobre a situação do país.

Medvedev considerou “correta” a renúncia do atual governo devido às “mudanças fundamentais na Constituição da Federação Russa” propostas por Putin com o objetivo de dar maiores poderes à Duma (câmara baixa do Parlamento).

Segundo o premiê, se aprovadas, essas emendas constitucionais modificarão “o equilíbrio de poder” entre o governo e a Duma. Putin agradeceu a Medvedev pelo trabalho exercido e disse que estava “satisfeito” com a gestão feita. “Nem tudo pôde ser feito, mas nunca é possível fazer tudo”, acrescentou.

Medvedev assumiu como premiê em maio de 2018, após deixar a presidência e ser substituído por Putin, que havia exercido como primeiro-ministro.

O trabalho de Medvedev foi severamente criticado tanto pela oposição parlamentar e extraparlamentar como pelos próprios cidadãos. Em pesquisas de opinião, apenas 36% das pessoas consultadas aprovaram o desempenho do premiê, que teve a renúncia amplamente exigida nos últimos anos.

A carreira de Medvedev, nativo de São Petersburgo assim como o presidente, tem estado intimamente ligada a Putin, com quem tem trabalhado de perto desde 1999, primeiro como gerente de campanha, depois como chefe da administração presidencial e primeiro-ministro.

*Com informações da EFE