Reino Unido pode levar até 6 meses para voltar ao normal, projeta governo

  • Por Jovem Pan
  • 29/03/2020 15h51
EFE/EPA/ANDY RAINGoverno britânico decretou confinamento obrigatório para toda a população

A assessora médica adjunta do governo do Reino Unido, Jenny Harries, afirmou, neste domingo (29), que serão necessários seis meses ou mais até que o país consiga voltar ao estado de normalidade, devido a pandemia do novo coronavírus.

“Isso não quer dizer que estaremos em total confinamento durante seis meses, mas como país, temos que ser muito, muito responsáveis, e seguir fazendo o que nos dizem até estarmos seguros de que poderemos começar a, gradualmente, retirar várias intervenções”, apontou.

A especialista participou da entrevista coletiva remota diária em Downing Street, residência do primeiro-ministro, Boris Johnson, junto com o ministro da Habitação britânico, Robert Jenrick.

Harries explicou que a cada três semanas serão realizadas revisões sobre os efeitos que as medidas de confinamento impostam pelo governo estão tendo no país.

A expectativa momentânea é de três a seis meses até que a situação no país se normalize, mas a assessora médica admitiu que existe a possibilidade de que o prazo seja maior.

“Os números piorarão na próxima semana ou na seguinte. Veremos se conseguimos baixar a curvar a iniciar um declive”, disse Harries, sobre o registro de novos casos.

Na última segunda-feira, o governo britânico decretou confinamento obrigatório para toda a população, com a exceção de casos excepcionais. A polícia recebeu, por meio de lei, os poderes necessários para cumprir a medida.

De acordo com boletim apresentado hoje, o Reino Unido contabilizou 19.522 casos de infecção pelo novo coronavírus e 1.228 mortes.

Robert Jenrick, por sua vez, revelou que o governo criou uma equipe de resposta para a distribuição de itens por todo o país, para garantir que o material chegue primeiro aos mais necessitados.

Ao todo, são 170 milhões de máscaras, 42,8 milhões de pares de luvas, 13,7 aventais, 182 mil batas, quase 10 milhões de artigos de limpeza, e além de 2,3 milhões de protetores para os olhos.

*Com Agência EFE