Relembrar e condenar o Holocausto nazista é um dever, diz Papa Francisco

  • Por Jovem Pan
  • 26/01/2020 16h00
EFE'Não é admissível a indiferença e é um dever a memória', disse o Papa sobre o Holocausto

O Papa Francisco recordou neste domingo do 75º aniversário da libertação dos judeus do campo de extermínio nazista de Auschwitz-Birkenau, data a ser celebrada nesta segunda-feira, 27.

Após realizar a oração do Angelus na janela do Palácio Apostólico para as centenas de fiéis presentes, o pontífice afirmou que é uma obrigação da sociedade recordar o Holocausto, e garantiu que considera inaceitável que alguém seja indiferente à situação.

“Diante dessa enorme tragédia, dessa atrocidade, não é admissível a indiferença e é um dever a memória”. Para Francisco, é importante que todos se lembrem da libertação do campo de concentração, que ele classificou como um “símbolo do Holocausto”, e recomendou um momento de oração e recolhimento.

“Que cada um diga no próprio coração: Nunca mais!”, disse, sob aplausos dos fiéis.

O papa pediu para que os presentes rezassem por todos os afetados pelo coronavírus, originário da cidade de Wuhan, na China. “Que o Senhor acolha os mortos em paz, apazigue as famílias e apoie o grande esforço que está sendo feito para combater a epidemia”, pediu.

* Com informações da EFE.