Soldado russo julgado na Ucrânia se declara culpado por crimes de guerra

Vadim Shishimarin é acusado de ter matado um civil de 62 anos para evitar denúncia sobre roubo de carro; julgamento acontece nesta quarta-feira, 18

  • Por Jovem Pan
  • 18/05/2022 10h08
EFE / EPA / SERGEY DOLZHENKO Soldado em frente à bandeira da Ucrânia Esse foi o primeiro julgamento de militares russos na Ucrânia desde o início da invasão

O primeiro soldado das Forças Armadas da Rússia que foi julgado na Ucrânia por crimes e guerra disse ser culpado e reconheceu todas as acusações feitas contra ele. Esse foi o primeiro julgamento realizado desde o início da invasão russa. Ao ser questionado pelas autoridades ucranianas se admitia “sem reservas” todos os atos dos quais era acusado, o suboficial Vadim Shishimarin, de 21 anos, disse que “sim”. Dentre as acusações feitas contra o militar, estavam as de crime de guerra e de assassinato premeditado. Ele teria disparado da janela de um veículo e matado um civil de 62 anos para impedir o depoimento sobre o roubo do veículo. A ação teria acontecido em 28 de fevereiro, quando o comboio de Shishimarin foi atacado, fazendo com que um grupo de soldados russos roubasse um carro. Um dos soldados ordenou que o civil fosse morto para evitar a denúncia.

*Com informações da AFP