Soldado russo pede perdão por ter matado civil durante invasão à Ucrânia

Em depoimento, Vadim Shishimarin pediu perdão para a esposa da vítima; ele poderá ser condenado à prisão perpétua

  • Por Jovem Pan
  • 19/05/2022 10h27
Genya SAVILOV / AFP Vadim Shishimarin Soldado é o primeiro militar russo a ser julgado na Ucrânia após o início da invasão

Um dia depois de se dizer culpado por crimes de guerra, o soldado russo Vadim Shishimarin pediu perdão em um tribunal da Ucrânia enquanto dava detalhes sobre como matou um civil no começo da invasão da Rússia. O episódio aconteceu em 28 de fevereiro, quando Shishimarin matou um civil de 62 anos para evitar a denúncia sobre um roubo de carro. “Sei que você não poderá me perdoar, mas, mesmo assim, peço perdão”, disse o soldado à esposa da vítima. O militar afirmou ainda que o furto do veículo aconteceu enquanto sua unidade estava recuando e eles tentavam reagrupar com mais soldados. “Queríamos chegar onde estava o nosso exército e voltar para a Rússia. […] a estrada, enquanto dirigíamos, vimos um homem. Estava falando no telefone e disse que nos entregaria”, contou. Durante o depoimento da esposa da vítima, o soldado ficou de cabeça baixa. Outros soldados serão julgados em breve. Shishimarin, por sua vez, pode ser condenado à prisão perpétua.

*Com informações da AFP