Tripulantes estavam dormindo durante incêndio em barco que matou 34 pessoas

Segundo relatório, os seis tripulantes da embarcação estavam dormindo quando barco começou a pegar fogo

  • Por Jovem Pan
  • 12/09/2019 19h44
EPA/DAVID MCNEWInvestigação preliminar apontou que tripulantes dormiam na hora em que barco pegou fogo

Os seis integrantes da tripulação do barco que pegou fogo no litoral da Califórnia, no qual 34 pessoas morreram, dormiam quando começou o incêndio, segundo uma investigação preliminar que aponta que não havia nenhum vigilante noturno acordado na embarcação.

“No momento do incêndio, cinco membros da tripulação estavam dormindo atrás da cabine e um membro da tripulação estava dormindo nos quartos de beliches”, informa o relatório preliminar da Junta Nacional de Segurança de Transporte (NTSB, em inglês).

As autoridades disseram anteriormente que o barco deveria contar com um vigilante noturno para alertar outros companheiros e passageiros sobre possíveis perigos.

O acidente ocorreu no dia 2 de setembro, quando a embarcação recreativa de mergulho Conception pegou fogo perto da ilha de Santa Cruz, na Califórnia, com 39 pessoas a bordo, das quais 34 morreram – o corpo do último desaparecido foi resgatado na quarta-feira (11) pelas autoridades.

O relatório da NTSB contradiz as informações anteriores, que assinalavam que os cinco sobreviventes da tragédia, todos eles tripulantes, estavam acordados quando o fogo começou e se jogaram ao mar.

De acordo com esse documento oficial, um tripulante acordou devido a um barulho e descobriu o fogo, depois chamou os demais companheiros e o capitão, que alertou a Guarda Litorânea. Nesse instante, tentaram entrar nos camarotes onde o resto dos passageiros dormia, mas todos os acessos estavam envolvidos por chamas e impossibilitavam o resgate.

Sobre os motivos da explosão, a NTSB afirma que três membros da tripulação negaram a existência de problemas mecânicos ou elétricos. Além disso, alguns dos tripulantes admitiram que não contavam com a capacitação adequada para agir em uma emergência.

*Com EFE