Trump atribui mortes de pai e filha na fronteira com México ao Partido Democrata

  • Por Jovem Pan
  • 26/06/2019 20h04
EFE / Abraham Pineda-JácomeÓscar Alberto Martínez Ramírez, de 25 anos, e a pequena Valeria, de 1 ano e 11 meses, afogados na margem do rio Bravo

O presidente americano Donald Trump culpou, nesta quarta (26), os integrantes do Partido Democrata pelas mortes de um homem e uma menina que tentavam atravessar o rio Bravo, na fronteira com o México. Segundo o republicano, a tragédia teria sido evitada se seus opositores tivessem apoiado uma mudança na política migratória do país.

“Odeio isso, e sei que pode acabar imediatamente se os democratas mudarem as leis (de imigração)”, declarou Trump a jornalistas sobre a impactante foto de Óscar Alberto Martínez Ramírez, de 25 anos, e a pequena Valeria, de 1 ano e 11 meses, mortos por afogamento na margem mexicana do rio.

Trump, que hoje embarcou para o Japão, onde participará da cúpula do G20, reiterou que os democratas, que controlam a Câmara dos Representantes, “têm que mudar as leis”.

“Coisas assim não aconteceriam (se houvesse a mudança)”, afirmou Trump, além de acrescentar que o homem que morreu na travessia ao tentar salvar a filha “provavelmente era um sujeito maravilhoso”.

Trump ratificou o pedido no Twitter, especificando que os democratas “devem mudar os vazios legais e as leis de asilo e assim salvarão vidas na fronteira sul”.

“Disseram que não era uma crise na fronteira, que tudo era ‘inventado’. Agora eles admitem que eu estava correto – mas eles devem fazer algo a respeito. Regulem as leis AGORA!”, frisou Trump na rede social.

A tragédia aconteceu na tarde de domingo na cidade de Matamoros, no estado de Tamaulipas, no México, a aproximadamente um quilômetro da ponte nova internacional.

Na segunda-feira, a mãe e esposa das vítimas, Tania Vanessa Ávalos, que conseguiu ser resgatada do rio, informou às autoridades que a correnteza levou primeiro a menina, e que o pai tentou socorrê-la, mas ambos acabaram levados pelas águas e desapareceram. O casal e a menina eram naturais de El Salvador e pretendiam pedir asilo político nos Estados Unidos.

Os corpos de Valeria e Óscar foram encontrados na segunda-feira pela manhã por autoridades mexicanas.

Com Agência EFE